Notícias UNETRI

Mudanças e Adaptações

TERCEIRA PARTE: ACADÊMICOS RELATAM SUAS EXPERIÊNCIAS DE ADAPTAÇÃO AO ENSINIO REMOTO, EM FUNÇÃO DA PANDEMIA

Esta é a terceira reportagem neste sentido. A interrupção das aulas presenciais exigiu solidariedade, organização, dedicação e planejamento ao novo sistema, tanto por parte dos acadêmicos, quanto dos professores

 
Reportagem e edição: Luiz Carlos Gnoatto / Ascom Unetri
 
Com o isolamento social, decorrente da pandemia do novo coronavírus, muitas mudanças aconteceram em todos os setores, e as adaptações à  nova realidade, e novas formas de fazer as ações do cotidiano, se toraram palavra de ordem.
Inovação, mudanças, criatividade, planejamento e determinação foram os principais elementos de adaptação a esse novo tempo.
E a Unetri Faculdades, a exemplo de todas as instituições de ensino superior presencial, precisou promover mudanças para também se adaptar ao novo  cenário.
A principal mudança foi, sem  dúvidas, a interrupção das atividades presenciais e a adoção das aulas remotas, online, o que impactou diretamente sobre os acadêmicos e professores.
São muitas as novas situações criadas, adaptações necessárias para superar dificuldades, como o caso em que uma acadêmica tinha limitações em sua internt e os colegas fazem rodizio para gravar as aulas, ligam para a colega, que ouve todas as aulas pelo celular.
Enfim, são muitos os exemplos de solidariedade, organização, dedicação e planejamento.
Para saber  mais como os  acadêmicos se adaptaram a estas mudanças, o que mudou em seu dia a dia, quais as dificuldades encontradas, novo planejamento e organização, entre outros fatores, ouvi alguns acadêmicos dos cursos presenciais da Unetri, que relataram suas experiências.
Esta é a terceira reportagem neste sentido.
Desta vez, os três acadêmicos, que deram depoimentos, são:
Vilma Melissa Poleselo, do 6º período de Pedagogia; David Alan Morineli Kafer, do 4º período de Pedagogia; e Claudineia Motta de Almeida Hentz, do 4º período de Pedagogia.
 
A acadêmica Vilma Melissa Poleselo destacou que 2020 está sendo um ano um tanto peculiar, com muitas mudanças e adaptações.
"Confesso que como todos, fui pega de surpresa. No início, fiquei com medo e insegura em relação à continuidade das aulas, de forma virtual, e com todas as mudanças e adaptações necessárias".
Vilma contou que sentiu muitas dificuldades, pois, afinal, nada se compara ao ensino presencial, mas com organização, planejamento e dedicação foi superando as adversidades.
"Mesmo com tantas incertezas, os professores superaram nossas expectativas e o trabalho não parou em momento algum". 
Conforme a acadêmica, apesar das dificuldades, as atividades virtuais propiciaram alguns benefícios aos acadêmicos.
"Ente eles, palestras, lives e conversas com professores e com grandes nomes da educação, atividades estas que não teríamos a oportunidade no sistema presencial", afirmou Vilma Melissa Poleselo.
 
David Alan Morineli Kafer, relatando sua experiência  com as aulas remotas pondera que no atual momento que está sendo vivenciado, não  haveria outra forma de prosseguir com os estudos, de maneira segura, a não  ser as aulas remotas. 
"Algumas adversidades surgiram pelo caminho, como distrações que, por estarmos no ambiente de nossas casas, se tornam inevitáveis. Mas nada que não possamos tentar controlar, e venho conseguindo lidar bem com essa dinâmica de aula, com planejamento de organização". 
David explicou que procura se organizar de maneira que possa aproveitar o máximo das aulas. 
"Assim valorizamos todo o esforço  dos professores, que tiveram que se reinventar para dar conta desse processo, de forma brilhante", destacou David Alan Morineli Kafer.
 
A acadêmica Claudineia Motta de Almeida Hentz salientou que, com certeza, a pandemia mudou significativamente não só sua sus vida acadêmica, mas acredita que também de todos os colegas, professores e demais integrantes da família UNETRI.
"Cada um teve que achar uma maneira de se reinventar, se adaptar e fazer o melhor na condição possível. Foi doloroso se distanciar de pessoas que faziam parte do dia dia acadêmico, porém um novo formato de estudo, de forma remota, minimiza essa falta, acarretando, de forma positiva, para que não seja perdida a essência de buscar o conhecimento, abrindo leques para novas oportunidades". 
Conforme Claudineia, o grande desafio é conciliar a vida acadêmica com a vida pessoal e afazeres domésticos. 
"No início da pandemia, eu abandonei o trabalho no comércio, pois possuo problemas de saúde, e achei mais viável não me expor ao vírus. Comecei a trabalhar em casa, de babá, me identificando muito com tudo que aprendi, e continuo aprendendo na graduação em Pedagogia. Procuro sempre colocar em pratica o aprendizado, com a bebezinha que estou trabalhando".
A acadêmica pondera que para ela, a maneira remota continua sendo produtiva e está conseguindo acompanhar e viver o conhecimento adquirido. 
"O sentimento é de gratidão aos professores, que produzem metodologias diferenciadas para conseguir promover o melhor aproveitamento dos alunos em frente à telinha". 
Ela ainda não voltou às aulas presenciais e não sabe exatamente como esta sendo. 
"Mas sinto saudades. Saudades do afeto, dos abraços dos apertos de mão, das rodas de conversa. Tenho até receio em voltar e não ser mais como era antes. Seria deprimente uma readaptação ao sistema presencial", destacou Claudineia Motta de Almeida Hentz.

Compartilhe esta notícia:

Para uma melhor experiência em nosso site, por favor, aceite os nossos cookies de navegação.

Existem algumas opções que podem não funcionar sem a utilização dos cookies. Para mais informações sobre os cookies que utilizamos, visite a nossa Política de privacidade.